Um dia de cada vez

História de VillaRamadas > Um dia de cada vez
20-09-2002
Por Séfora Silva, Notícias de Leiria

“Vivemos sempre um dia de cada vez”. A frase foi dita com a convicção de quem vive intensamente um problema de droga. M., chamemos-lhe assim, é mãe de um toxicodependente que está em recuperação há nove anos. M. faz parte das FA (Famílias Anónimas), associação em que as famílias destroçadas pelos problemas de toxicodependência se ajudam mutuamente.

M. e o filho viajaram meio Portugal para estarem presentes na inauguração de Villa Ramadas, centro de tratamento de dependências químicas ou comportamentais do amigo Eduardo da Silva, director terapêutico de Villa Ramadas.

O Centro, a funcionar há poucos meses, foi agora inaugurado com a presença de Maria Barroso, presidente da Cruz Vermelha Portuguesa. Villa Ramadas apresenta-se como uma instituição privada de solidariedade, defensora do modelo Minnesota, na versão da abstinência total. O Centro, licenciado pelo Ministério da Saúde, tem capacidade para 25 pessoas que sejam voluntários a abandonar a dependência.

Na altura de descerrar a placa inaugural Maria Barroso defendeu a importância da reintegração, da solidariedade e da entrega aos outros. Por isso, explicou a presidente da Cruz Vermelha, é muito importante que existam cada vez mais centros de apoio aos que mais precisam, aos “mais frágeis da sociedade”.

O filho de M. está hoje reintegrado em sociedade, tem um emprego e sabe que, “só por hoje, vai conseguir ficar limpo. Só por hoje vai passar mais um dia sem consumir drogas”.

Utilizamos cookies para garantir que o nosso site funcione da maneira mais tranquila possível e para analisar o tráfego da web. Se você continuar a usar o site, concorda com nossa Política de Cookies.
OK
Saiba aqui X